São José dos Campos, 20 de Abril de 2014

Buscar: em todo Site por Empresas, Produtos e Serviços

Matérias

24.03.2010

Avibras Indústria Aeroespacial

A Avibras Indústria Aeroespacial S/A, de São José dos Campos, uma das mais importantes empresas do setor de defesa do país, prevê encerrar o período de concordata no próximo mês. O processo será finalizado com a quitação total da dívida da companhia, hoje na ordem de R$ 200 milhões, valor que poderá ser capitalizado para incorporação da União em seu quadro acionário.

A empresa está com o plano de recuperação judicial praticamente na fase final, tendo liquidado todos os débitos de natureza trabalhista e com fornecedores.

De acordo com o presidente da Avibras, Sami Hassuani, a participação da União ficará na proporção de 15% a 25%, percentual que ainda está sendo estudado.

A União não aportará dinheiro à companhia. O processo acontecerá por meio da lei 11941/09, na qual a presença dos recursos será efetivada pela conversão dos débitos da Avibras. Essa será a primeira parceria público-privada a ser anunciada no setor de Defesa.

A Avibras está em regime de recuperação judicial desde julho de 2008. O valor do processo, segundo Hassuani, estava em torno de R$ 500 milhões, superado pelo cumprimento de um grande contrato fechado com a Malásia para o fornecimento de baterias, munições e equipamentos de apoio da última geração do lançador de foguetes Astros-2, carro-chefe do grupo.

CONTRATOS - Até agora, a Avibras entregou três lotes da encomenda, sendo a quarta e última prevista para até o meio do ano. O ritmo de produção com esse e outros contratos permitiu que a companhia contratasse aproximadamente 400 novos funcionários nos últimos quatro meses, chegando a um total de 1.300 trabalhadores em seu quadro funcional.

"Foi um ano em que a gente se estabilizou, faturando um total de R$ 200 milhões, que foram empregados na compra de matéria prima, pagamento dos funcionários e quitação de dívidas. É um dinheiro que usamos de maneira intensa, também para fazer caixa. Tivemos um lucro de R$ 270 milhões que significa nossa redução da dívida", disse Hassuani.

Com perspectivas otimistas no volume de produção para 2010, Hassuani negocia três grandes contratos com clientes ainda não revelados. A aposta do executivo é que um dos contratos seja assinado ainda no primeiro semestre desse ano, no valor de R$ 500 milhões, para o fornecimento de veículos blindados Astros geração 4.

"É difícil todos saírem de uma vez, nossa expectativa é que a gente feche um por ano. Também estamos negociando com a Força Aérea Brasileira, Exército e Marinha, mas temos outros contratos pequenos que dá para manter a produção. A Avibras aposta que 2010 será um ano de estabilidade, com cautela pois o setor de Defesa é imprevisível", afirmou Hassuani.

GOVERNO - O processo de participação societária da União na esfera governamental está sendo conduzido pelo do Ministério da Defesa, que já afirmou através do ministro Nelson Jobim que não planeja interferir na administração rotineira da companhia.

A União irá participar da tomada de decisões consideradas estratégicas para o país. Essa participação se fará por meio da ação especial 'golden share'.


Fonte: Jornal Valeparaibano

- Visualizar todos

Av. Tivoli, 563 - Vila Betânia CEP 12245-230 - São José dos Campos (12) 3921.7922

© 2011 CIESP - São José dos Campos - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: DB9